21.12.07

Zodiac (Zodíaco)



2007
Suspense
Direção: David Fincher
Roteiro: James Vanderbilt





Mais uma obra de destaque sob direção de David Fincher. Não dá pra negar mesmo, o cara é um diretor e tanto.

Uma série de assassinatos chocam os americanos da bahia de São Francisco. A tentativa de descobrir quem é o Zodíaco, apelido dado ao serial-killer, acaba mudando a vida do inspetor David Toschi (Mark Ruffalo) e dos jornalistas Paul Avery (Robert Downey Jr.) e Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal).

Todos aqui já devem saber, mas vivo numa constante disputa entre os clássicos e os atuais e, assumo, muitas vezes os mais antigos acabam me seduzindo. Aí, dá no que dá e eu fico tempos sem saber o que rola no mundo dos vivos. Ok, há vezes que a desgraça é tanta que nem do mundo dos mortos eu não sei mais...

Porém, me rendi a esse título, me rendi ao nome sedutor que vem na direção, me rendi pelos atores. Assisti Zodíaco em uma noite chuvosa de inverno, ao lado do meu maridinho – tinha tudo pronto para cairmos de sono na primeira hora de filme, mas nós dois permanecemos atentos durante a sua longuíssima duração todinha. Repito: Fincher é muito bom!

Sobre a direção, acho difícil comentar. David Fincher é bom demais. Um filme como esse, baseado em fatos reais, cujo final é super aberto só nos pode dar duas opções: ou apela totalmente para a ficção e inventa um monte de coisa para a trama principal da história, ou tenta ser o mais realista possível. Ambas as saídas são perigosas e complicadas, porém a segunda é ainda mais arriscada. David Fincher escolheu essa segunda opção e conseguiu fazer um filmaço de primeira. O enfoque que ele dá na vida dos três homens que se seduzem por tentar descobrir quem é o Zodíaco foi uma sacada de gênio. Com isso, ele aproxima ainda mais a história do espectador, e o modo como ele conta a história, faz com que esse espectador também acabe se seduzindo pelo mesmo motivo. E claro, por tudo isso, temos que parabenizar também o roteirista.

Apesar da longa duração, a história consegue ser envolvente o bastante para que a atenção não seja perdida. Porém, admito que no finalzinho eu já estava um pouco esgotada. E falando no finalzinho, tem algo nele que me incomoda um pouco, mas não consigo precisar o que. Talvez seja o fato de ter terminado com tantas "letrinhas", mas quanto mais eu penso nisso, mais eu acho que se mudasse alguma coisa estragaria tudo. É, eu não faço muito sentido mesmo...

Como disse, um dos motivos de eu ter ficado com tanta vontade de ver o filme foi os atores principais. Jake Gyllenhaal eu me envergonho em dizer que não conhecia - é, nunca assisti Donnie Darko nem Brokeback Mountain - e me impressionei com o rapaz, ele é bom mesmo. Já Robert Downey Jr., eu sou apaixonada por ele desde que assisti Chaplin, a vida pessoal dele pode ser bem complicada, mas que ele trabalha bem, isso ele trabalha. E minha mais nova paixão, Mark Ruffalo... cada vez que assisto um filme com ele, fica mais comprovado que ele é muito f@%*#! Ele faz qualquer papel e se transforma (ai, como prezo esses camaleões), mas nesse filme ele tá muito bem, muuuito diferente.

No fim das contas, eu só sei que em meio a esses atores, à essa direção, roteiro, fotografia, edição e trilha sonora, temos um provável ganhador de muitos prêmios.

4 comentários:

Fernando Assad disse...

Olá, tudo bem?

Indiquei o seu blog para o selo "Escritores da Liberdade".
http://novelodigital.blogspot.com

Um abraço.

Thalita disse...

Nossa.

Nossa.

Por essa eu realmente não esperava...

Muito obrigada, Fernando!!!
Isso me deixou felicíssima!

Ainda mais vindo de alguém com um blog tão bom como o seu, que, apesar de novíssimo, já recebeu duas indicações.

Nossa.

Rick Lima disse...

Zodíaco é uma espécie de épico de Suspense. Assim: Guerra nas Estrelas é um épico de ficção científica; O Senhor dos Anéis é um épico de fantasia, então... Difícil falar bem deste filme sem cair no clichê. É, realmente Fincher é um diretor extraordinário, não há porque negar. E todo e qualquer ator que fique sob sua batuta dá um show à parte. Jake, Robert e Mark as três pontas do triângulo que forma Zodíaco. O filme é tão envolvente, que mesmo sabendo do final, você torce para que os caras peguem o assassino. Nada de sustos fáceis ou soluções mágicas, o gostoso do filme é a tensão psicológica que ele provoca. Um exemplo: a cena em que o detetive interpretado por Mark Ruffalo fica cara a cara com o Zodíaco pela primeira vez. A cena é tensa e espetacular. Ele - e a gente - sabe que o cara é quem eles estão procurando, mas as provas não acusam o cara, o que o deixa - e a gente - frustrado. É sublime. Uma aula de cinema. Sem falar que, em tempos de Internet, ver o quanto era difícil juntar e processar informações naquele período, dá até vontade de rir. Mas, o que seria do mundo sem avanço, não é!? E David Fincher está, definitivamente, anos -luz a frente.

Feliz Ano Novo.

Thalita disse...

O que vc disse está perfeito, Rick!
Eu tive uma enorme dificuldade para escrever essa crítica, justamente porque o filme é bom e pronto. Os motivos me pareciam meio óbvios. O diretor é ótimo, os atores, o roteiro...
E é isso mesmo que vc falou, ainda que saibamos o final e que o assassino nunca foi pego, passamos boa parte do filme torcendo para que o peguem! Isso é fantástico!!

Feliz Ano Novo pra vc tb!