12.5.08

Donnie Darko




2001
Ficção Científica, Drama
Direção: Richard Kelly
Roteiro:
Richard Kelly






Vou tentar ser imparcial a respeito desse filme, mas espero que me desculpem se eu não conseguir. Acontece que eu amei Donnie Darko!!!

Donnie Darko (Jake Gyllenhaal) é um adolescente que vê sua vida mudar quando se salva da morte: ao seguir o enorme e sombrio coelho Frank (James Duval), Donnie escapa de ter sua vida interrompida por uma turbina de avião que caiu do céu exatamente sobre seu quarto. Nessa noite, Frank diz a Donnie que o mundo irá acabar exatamente em 28 dias, 6 horas, 42 minutos e 12 segundos. Variando entre sessões de terapia, conversas com seus professores Kenneth (Noa Wyle) e Karen (Drew Barrymore), e com sua namorada Gretchen (Jena Malone), Donnie Darko tenta entender o que as aparições de Frank significam, se são reais e qual é o seu papel dentro dos estranhos acontecimentos recentes.

Lembra que no Questionema eu disse que não era de prestar muita atenção em trilha sonora? Bom, ainda é verdade, mas nesse caso, acabou o filme e eu só conseguia pensar na trilha sonora. É simplesmente ótima. E muito bem colocada no filme. As músicas oitentistas, totalmente combinando com o filme todo (já que a história se passa em 1988), além de serem lindas, se encaixam perfeitamente aos momentos em que estão em destaque. Em Donnie Darko, quando a música ganha destaque, realmente significa alguma coisa - mesmo quando é kitsch. Eu me lembrei muito da Ann B. (ou Amiga da Kayako, como queiram) quando ela dizia que o sonho dela era que a vida real tivesse trilha sonora, porque acho que, se tivesse, ia ser exatamente como eu vi nesse filme.

E o resto? Bom, o resto do filme é praticamente... perfeito. O roteiro é muito bom; não só pela história, mas pelo modo como é contada. Dizem que é um filme difícil. Hmmm... fácil não é, em grande parte é por isso eu gostei dele, mas não é o filme mais complexo dos últimos tempos. Só que tem um ponto: sempre que você assiste, você percebe uma coisinha nova. E quando você achava que já tinha entendido tudinho, você assiste de novo e vai ver que talvez existe uma outra interpretação ou um detalhe que você não tinha percebido antes.

Donnie Darko é apenas o terceiro filme de Richard Kelly, e o único dos cinco filmes que ele dirigiu que eu assiti; mas já dá pra ver que o rapaz é alguém para se prestar atenção. Ele tem um estilo próprio, uma estética própria e ambos são usados de forma muito segura para nos passar as sensações corretas nos momentos certos. Os personagens têm carisma, as cenas são intrigantes, obscuras e fortes, e o filme é muito bem ambientado. Uma coisa que eu gostaria de salientar: os movimentos de câmera e alguns momentos de aceleração da imagem conseguem um efeito que, quando somados à já citada excelente trilha sonora, fica maravilhoso. Destaque para a chegada do Donnie na escola logo depois que a turbina do avião cai em seu quarto - que é praticamente uma rápida (e incrível) apresentação da maioria dos personagens que serão envolvidos na história.

Jake Gyllenhaal já mostra o grande ator que é, carregando o filme com facilidade e conduzindo o personagem de maneira a proporcionar grande empatia, mas sem perder a sua enorme complexidade e ambiguidade. Não importa quantas besteiras Donnie faça, nós sempre o perdoaremos, mesmo quando não conseguimos compreendê-lo por completo. Além disso, as expressões de Jake são impressionantes. Quando Donnie está sob infuência do sonambulismo, o olhar morteiro seguido do sorriso desprovido de sentimento é algo assustador e completamente diferente do que é o Donnie acordado.

E todos os outros atores são bons, principalmente Mary McDonnell como a mãe de Donnie. Porém, se o filme tem algum defeito, diria que é o fato de esses outros personagens serem algumas vezes caricatos por demais. Mas isso não acontece com o coelho - de quem, durante o filme, fica difícil saber se devemos gostar ou odiar.

Hmmm, não sei se consegui atingir meu objetivo inicial de imparcialidade, apesar de que fica a sensação de que falar com menos empolgação a respeito de Donnie Darko seria um certo tipo de traição a mim mesma. O filme me ganhou, me conquistou.

14 comentários:

Rodrigo Fernandes disse...

ahah, tbnm não consigo ser imparcial em alguns filmes... principalmente nesse tbm, curti muito igual a voce...
ótima dica, ótma critica... ótimo filme, hehehe

Rick Lima disse...

O mais legal desse filme são as citações e teorias que ele abre. A primeira e mais legal está ligada diretamente a 4ª Temporada de LOST, onde o "buraco de minhoca" é algo ainda a ser descoberto. Abre aspas: a escotilha não explodiu, foi sugada por uma fenda no tempo, similar a que aparece em Donnie Darko. Agora, melhor diálogo: a teoria de que a Smuffete é a prostituta dos Smuffs. Simplesmente hilariante. Você viu o filme que Donnie está assistindo no cinema? A Morte do Demônio. Tem muito mais, mas o espaço é curto...

PS: Nós não somos jornalistas! Que se dane a imparcialidade.

tha disse...

Valeu, Rodrigo!

Rick, eu não li seu comentário inteiro pq ainda não comecei a ver a 4a Temporada de Lost e não quero saber de nadinha antes da hora... hehehehehe
Mas eu percebi sim q eles estava assistindo A Morte ao Demônio e achei o máximo!

Johnny Strangelove disse...

Filmão ...
extremamente dificil de se comentar ... fazer uma resenha desse filme requer muitas coisas principalmente emoção e sentimentos verdadeiros
abraços

Cecilia Barroso disse...

Tenho muita curiosidade de ver esse filme. Todo mundo que viu fala super bem.
Vou ver se providencio para logo...

Sandro Cavallote disse...

E a trilha sonora??? Sensacional!

tha disse...

Muito sensacional!!!!!!
rsrs

Marcus Vinícius disse...

Nem dê bola pra imparcialidade. Pra tu ter uma idéia, eu fiz cobertura da Libertadores 2007... num blog de cinema! xD
Afinal, cinema não deixa de ser 'amor a camisa' também, hehe.

No mais, esse filme é espetacular mesmo, sem contar que já começa com Echo and the Bunnymen. Tal "como o Réquiem Para um Sonho", seu final ficou dias na minha cabeça.

Beijão!!

Rick Lima disse...

Thalita, tô de casa nova. Quando quiser e der, dê uma passadinha no A Última Sessão de Cinema (www.atimasessodecinema.blogspot.com).
Não ligue para a aparência inicial, ainda estou engatinhando no Blogspot. Ah, e o Cinefagia, o "pai" do meu novo Site, ainda continuará vivo. Te vejo lá.

tha disse...

Réquiem para um Sonho nunca assisti... É bom? É de que? Drama?

Oba, Rick! Parabéns! Já vou lá conhecer sua nova casa!

Baroli disse...

Esse filme é um daqueles que não consegui assistir desde o início... Tenho que corrigir esse erro. VocÊ lembra do filme Alucinações do Passado? Era um filme bem intrigante, as histórias são parecidas?

tha disse...

Ih, Baroli, não conheço esse filme...

amida da kayako/ann b. disse...

Aah, não!!!!! Para tudo!!!!
você assistiu donnie darko e eu nao estava junto pra conversar sobre!!!!
QUE trilha!!!!

ps. adorei a tua lista dos subestimados, e quero comentar ali ainda.

um beijo

Thiago Trufini disse...

O clima nostálgico do filme é sensacional, além do roteiro instigante. Muito bom!

Aproveitando a deixa, assistam também o "Primer". Explora muito bem também esse assunto de 'fluxo temporal' e semelhantes. Assisti umas 5 vezes e ainda não me sinto seguro ao discutir sobre ele... hehe

Até