16.6.08

Terminator (Extermidador do Futuro) - 1 e 2


Terminator (O Exterminador do Futuro)

1984
Ação, Aventura

Direção: James Cameron
Roteiro: James Cameron e Gale Anne Hurd


Terminator 2: Judgment Day
(O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final)

1991
Ação, Aventura

Direção: James Cameron
Roteiro: James Cameron e
William Wisher Jr.





Sabe o que é gostoso? Assistir um filme que você sabe que é super legal com uma pessoa que você sabe que vai gostar e que nunca tinha assistido antes.

Em 2029 o mundo já não será mais o mesmo. Existem poucos humanos na Terra, que agora estão em constante guerra contra as máquinas. E dentre todos os homens, só há uma esperança: John Connor, o líder da resistência. Assim, as máquinas enviam um Exterminador (Arnold Schwarzenegger) para eliminar sua mãe, Sarah Connor (Linda Hamilton), antes que ela pudesse concebê-lo; mas a resistência também envia alguém para protegê-la, um homem chamado Kyle Reese (Michael Biehn). Anos depois, outra tentativa é feita pelas máquinas. Enviam um Exterminador mais avançado, modelo T-1000 (Robert Patrick). E novamente a resistência também precisa enviar alguém, mas dessa vez um Exterminador (Arnold Schwarzenegger) cuja programação havia sido alterada: proteger John Connor (Edward Furlong).

É muito gostoso rever um filme legal. Principalmente quando a gente pouco lembra dele. Mais principalmente ainda, quando a pessoa que está do nosso lado
nunca assistiu e parece estar adorando. Foi assim que eu reassisti os dois primeiros filmes do Exterminador do Futuro. E, no caso do primeiro, eu realmente não lembrava de absolutamente nada. Foi quase como seu eu estivesse assistindo pela primeira vez, não fosse a constante sensação de dejà vu, durante toda a sua duração.

O primeiro filme é muito bom. E tem uns furos engraçadíssimos, como quando o Exterminador aborda uns rapazotes, depois aparece vestido com a roupa de um deles e, apesar de o rapaz ser 10 vezes menor do que o Schwarzenegger, a roupa ficou até um pouco folgada no ciborgue. Mas isso só deixa o filme mais simpático.

É engraçado ver como supostamente o protagonista do primeiro filme, juntamente com a Linda Hamilton, é o Michael Biehn; porém, a gente pouco lembra do ator ao falar sobre o filme, já que a presença do Schwarzenegger é muito mais marcante. E isso não porque ele faz o papel do super ciborgue, pois no segundo filme ele já é bem "ultrapassado" e mesmo assim sua presença é muito forte. O fato é que o Schwarzenegger é extremamente cativante, não importa se ele é o mocinho ou o bandido.

E talvez, por dessa vez ele ser o mocinho, o segundo filme é ainda melhor. Lutas antológicas entre os Exterminadores, muito boa atuação de Robert Patrick, e Linda Hamilton está novamente ótima. Schwarzenegger está simplesmente perfeito e engraçadíssimo em suas tentativas de se parecer mais descolado. Esse toque de humor dos filmes dele sempre me ganham. Adoro isso.

Uma análise mais profunda a respeito desses filmes eu não tenho muita coragem de fazer, pois sou pouco entendida quando o assunto é Sci-Fi. Mas, numa pincelada superficial, posso dizer que o filme traz, além das cenas de ação, uma abordagem mais filosófica a respeito do capitalismo, da tecnologia e também do próprio homem. As cenas mais focadas em Sarah Connor no segundo filme, principalmente quando ela percebe o apego de seu filho pelo ciborgue são um bom exemplo disso.

No mais, James Cameron arrasa na dosagem entre ação, risos e carisma. Tem de tudo, principalmente no segundo filme, e na medida certa. E o tema, me parece que nunca ficará ultrapassado. Nem mesmo quando as máquinas realmente dominarem o mundo. Pois eu já estou começando a acreditar que isso é bem possível. Heh.


3 comentários:

Johnny Strangelove disse...

Filmão em ...
dê uma visitada no blog e terá uma surpresa ... veja nas enquetes ...


filmão em ...
beijos e abraços ...

contra-regra disse...

Schwarzenneger? Linda Hamilton? Terminator? resultado: filmaço! por que ele quis ser governador da califórnia? não dá pra entender.

ANDF disse...

Realmente são clássicos. A trilha incidental de Brad Fiedel (também fez a de TRUE LIES) é de arrepiar.